Boa noite!           Sábado 21/09/2019   18:55
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Palestras e Workshops > Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis realiza workshop em Violino
Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis realiza workshop em Violino
Os efeitos da música no aprendizado infantil também serão discutidos

30/08/2012 17:04 - Nos dias 01 e 02 de setembro, o Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis vai promover aulas de violino e uma palestra sobre a importância do ensino da música para o desenvolvimento infantil. O trabalho vai ser aplicado pela pesquisadora e musicista Mariana Salles. Ela se formou na Universidade Federal do Rio de Janeiro, e é mestre em Violino. Há 15 anos, tem estudado os efeitos da música no desenvolvimento infantil.

Segundo a musicista, o aprendizado musical é a atividade que contempla o aperfeiçoamento de maior número de habilidades de uma criança, seja nos aspectos físicos, da coordenação motora, à intelectual e emocional. “Uma criança que aprende um determinado instrumento, estimula a capacidade matemática, por meio do entendimento sobre as notas, acordes... e ainda aprende a lidar com as emoções de uma maneira muito mais natural”, afirma a musicista Mariana Salles.

Que a música levanta o astral e promove a alegria, já sabemos. Mas que ela tem poderes ainda mais profundos, inclusive no funcionamento do cérebro, isso sim é novidade para muita gente. O assunto tem sido foco de pesquisa de cientistas de todo o mundo e os avanços nas pesquisas, mostram que o contato com a música faz aumentar a inteligência. Pesquisadores revelam que as pessoas que desenvolvem uma relação íntima com a música estimulam o cérebro a atuar de uma maneira muito mais eficiente.

O assunto também é foco de estudos em Petrópolis. A pesquisadora Daniele Madureira, formada em música pela UFRJ, com Pós-Doutorado em Inteligência Artificial pelo LNCC, Laboratório Nacional de Computação Científica, trabalha na produção de um artigo em neurociência, sobre o aprendizado humano no sistema de recompensa e o reflexo desta interação na percepção do indivíduo. Inserido no estudo, a pesquisadora avalia as reações no cérebro de quem está em contato com a música e as traduz em equações matemáticas. “Primeiramente, a gente precisa entender como nosso cérebro trabalha. Nessa linha, o que já está comprovado, é que funcionamos sob um sistema positivo em recompensas. Ou seja, se uma pessoa exerce uma determinada atividade e sente que está sendo retribuída a contento por isso, ela vai executar essa ação com muito mais eficiência, o que é muito mais fácil de acontecer na atividade musical”, explica a pesquisadora Daniele Madureira.

A cientista endossa os muitos estudos científicos que mostram que o fato de se tocar um instrumento, ou mesmo ouvir uma música de qualidade, faz com que o cérebro trabalhe com maior sincronia, da maneira mais harmoniosa possível. “Todos os estímulos são distribuídos por igual às diferentes habilidades cerebrais. Sejam intelectuais, motoras ou emocionais. Por meio da música, podemos prevenir e até mesmo curar as desordens de ansiedade, comumente trabalhadas na psiquiatria. Quanto mais cedo uma pessoa é estimulada a vivência musical, mais vantagens ela terá ao longo da vida. Maiores vão ser suas capacidades de raciocínio e equilíbrio emocional. A música deveria fazer parte da prática pedagógica de qualquer criança”, alerta a pesquisadora.

Nesta linha, a instituição Filantrópica, Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis, é referência no país. Desde pequeninos, as crianças são ambientadas às aulas de violão, piano e violino e canto-coral. Essa vida musical já fez diferença na vida de mais de três mil pessoas, que hoje atuam em todo o país, em diferentes estórias de sucesso. A mudança no comportamento das crianças que começam a praticar essas aulas é notória, como afirma o Maestro dos Canarinhos de Petrópolis, Marco Aurélio Lischt “Primeiramente, crianças que têm atividades musicais como parte integrante de sua formação passam a ser mais centradas e mais calmas. Isso facilita a concentração para realizar tarefas de alto desempenho cerebral como, cálculos matemáticos. Cientificamente está provado, através de tomografias, que o cérebro em contato com a música exibe uma área mais abrangente de impulsos elétricos (atividade cerebral). Isso pode ser um estímulo para que crianças tenham mais facilidade em realizar determinadas tarefas, o que para muitos seriam difíceis ou impossíveis (algumas pessoas, por exemplo, têm bloqueios de aprendizado com línguas estrangeiras). Comumente, crianças que praticam a música no seu dia a dia, são mais felizes e se relacionam melhor com outras pessoas.

A ótica pedagógica da inserção da música na vida infantil, estimulada pelos cientistas, é também uma bandeira levantada pelo Instituto e tema de constantes discussões, como a que vai ocorrer no dia 01 de setembro, as 11h. A palestra é gratuita e aberta ao público. O Workshop de violino será oferecido nos dias 01 e 02. As aulas serão individuais, para estudantes de violino do nível inicial ao avançado. A aula com duração de 45 minutos custa R$ 70,00 e a aula com 30 minutos, R$ 50,00. As inscrições estão abertas e podem ser feitas até o dia 31, de segunda à sexta-feira, das 09h às 18:30h, na secretaria do Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis.

Programação dos filmes em cartaz