Bom dia!           Segunda 16/12/2019   08:37
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Caderno Cultura Netpetropolis > Aprovada Inclusão de Compra de Imóveis em Lei de Incentivo à Cultura
Aprovada Inclusão de Compra de Imóveis em Lei de Incentivo à Cultura

24/03/2011 - 09:21 - Imóveis tombados ou de valor cultural e artístico poderão ser comprados com recursos obtidos através da Lei 1.954/92, que trata da concessão de   incentivos fiscais para patrocinadores de produções culturais no estado.

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou nesta quarta-feira  (23/03), em discussão única, o projeto de lei 62/11, em que os deputados Paulo Melo (PMDB) e André Ceciliano (PT) incluem a compra de imóveis tombados, desde que para fins culturais, entre os projetos passíveis de serem beneficiados pela norma. Ela autoriza produtores de eventos culturais a captar recursos com empresas até o limite de 4% do que elas devem de ICMS – o que será debitado do montante a recolher anualmente.

A lei determina ainda que a empresa, para obter o benefício, acrescente do próprio bolso 20% do valor obtido. Por exemplo: se uma empresa patrocina um evento com R$ 100 mil de dinheiro que seria dado ao governo a título de pagamento de ICMS, é obrigada a dar outros R$ 20 mil de seus cofres.

Para os parlamentares que apresentaram a proposta, ela coíbe a venda de bens culturais tombados ou de valor cultural e artístico com outra finalidade que não a cultural. “Esse projeto visa a complementar a lei, permitindo, além da possibilidade de produção de filmes, peças e shows e  da aquisição de equipamentos, a captação de recursos para compra de imóveis”, explicou Ceciliano citando como exemplo casos em que imóveis de valor artístico e cultural têm sua função desviada.  “Muitos cinemas, por exemplo, viraram supermercados ou templos religiosos. Queremos que lugares como estes, com importância cultural, possam ser adquiridos para serem usados novamente com esta finalidade”, defende o autor, lembrando que os imóveis não poderão ser alienados. O texto será enviado para o governador Sérgio Cabral, que terá 15 dias úteis para sancionar ou vetar a proposta.

Pedro Motta Lima
Diretoria de Comunicação Social da Alerj

Programação dos filmes em cartaz