Boa tarde!           Terça 30/11/2021   12:13
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Saúde > Petrópolis tem Média de 45 mil Visitas em Domicílio no Combate ao Aedes Aegypti
Petrópolis tem Média de 45 mil Visitas em Domicílio no Combate ao Aedes Aegypti
Mesmo com alto número, agentes ainda enfrentam resistência de moradores

28/06/2021 - 08:05 - Os agentes de combate a endemias da Secretaria de Saúde de Petrópolis seguem os trabalhos de combate e prevenção ao mosquito aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chykungunia. Mensalmente são feitas cerca de 45 mil visitas em domicílio. Todos os agentes de endemia estão vacinados com as duas doses contra Covid-19. Neste momento de pandemia a visita está sendo realizada apenas na parte exterior dos imóveis, com verificação de locais com água parada e caixas d’água destampadas.

As tarefas executadas pelo agente de combate a endemias envolvem vistorias de domicílios, com transmissão de informações sobre os cuidados necessários para garantir a não proliferação do vetor, destruição de criadouros e aplicação de larvicidas quando necessário. Em abril deste ano foi feita a redistribuição de agentes, com as equipes sendo organizadas em pontos fixos. Os agentes são ligados Coordenadoria de Vigilância Ambiental do Departamento de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Saúde.

A coordenadora da Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde, Alessandra Cardoso, ressalta que mesmo com a reorganização, os agentes enfrentam resistência dos moradores: “Com essa nova organização, o morador conhece quem é o agente da localidade. Ele sempre vai estar vendo e acompanhando o trabalho nas redondezas. Mesmo assim, temos encontrado resistência das pessoas para fazer a verificação nos domicílios. O nosso trabalho também envolve ações educativas de orientação, sobre os cuidados de focos do mosquito. Precisamos da conscientização da população sobre a importância desse trabalho”.

O agente de combate a endemia tem uniforme próprio, com colete e acessórios de identificação. Caso o morador tenha dúvida se a pessoa que está em sua porta é um agente, pode entrar em contato com a coordenadoria para fazer a verificação pelo telefone: (24) 2231-0841. Denúncias de caixa d'água sem a tampa e água acumulada em residência, também podem ser feitos nesse número.

No último Levantamento de Índice Rápido ao Aedes Aegypti (LIRA) realizado em 2020, Petrópolis obteve resultado de 0,77% nos parâmetros para classificação quanto à infestação pelo mosquito, de acordo com as Diretrizes Nacionais para Prevenção e Controle de Arboviroses. Esse número representa baixo risco de infecção, com índice satisfatório menor que 1%. Entre 1 e 3,99%, os números representam sinal de alerta, e acima de 4,00%, alto risco de contaminação pelo mosquito.

“Em relação ao ano passado quando eram 50 agentes de endemia, a prefeitura quase triplicou esse número, contando hoje com 142 trabalhadores. Eles são distribuídos por nove regiões da cidade, com foco em áreas urbanas. Independente da estação do ano, o trabalho de combate aos vetores e de orientação à população é desenvolvido continuamente por meio de visitas domiciliares”, ressaltou o secretário de Saúde, Aloisio Barbosa.

A dengue e a chikungunya têm sintomas e sinais parecidos. Enquanto a dengue se destaca pelas dores no corpo, a chikungunya se destaca por dores e inchaço nas articulações. Já a zika se destaca por uma febre mais baixa (ou ausência de febre), manchas na pele e coceira no corpo. Os sintomas são parecidos, mas o tratamento é diferente para cada doença. Em caso de sintomas, procure a unidade de saúde mais próxima.

Alessandra ressalta que os cuidados com larvas e o mosquito Aedes aegypti devem ser mantidos em todos os meses do ano: “Evitar água parada, manter caixas d’água tampadas e bem cuidadas, são os cuidados essenciais de prevenção. Mesmo no período de inverno não podemos reduzir os esforços no combate ao Aedes aegypti”

Luciano do Carmo
Programação dos filmes em cartaz