Boa tarde!           Terça 30/11/2021   12:39
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Saúde > Plantas medicinais no SUS
Plantas medicinais no SUS
Médicos de Postos de Saúde em Petrópolis passarão a prescrever também plantas medicinais no tratamento da população

04/10/2018 - 09:34 - A última sexta-feira (28) marcou a entrega do primeiro lote de plantas medicinais, com certificação orgânica, para prescrição nos Postos de Saúde de Petrópolis. O evento reuniu representantes da Secretaria Municipal de Saúde - SMS do município e do Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde – Fiocruz/Petrópolis, parceiros envolvidos no Arranjo Produtivo Local – APL de Plantas Medicinais de Petrópolis 2012, projeto que permitiu que estas plantas chegassem gratuitamente à população com segurança, por meio do Sistema Único de Saúde - SUS.

Este primeiro lote, composto de capim limão e alumã, será utilizado nos postos de Saúde do Bataillard, Caxambu e nas Academias de Saúde do município. O objetivo é que os médicos possam prescrever as plantas medicinais, tendo mais uma opção no tratamento de doenças e na promoção da saúde do petropolitano que utiliza o SUS. Para Fabíola Heck, Secretária Municipal de Saúde de Petrópolis, esta é uma mudança cultural que precisa acontecer. “Precisamos divulgar o uso das plantas medicinais como alternativa de tratamento para população. E assim, embaladas, etiquetadas e com a garantia de procedência, facilita muito para que possamos trabalhar com segurança e em escala junto aos pacientes das unidades de saúde”, avalia Fabíola.  “Ter essas plantas em nossas mãos é uma grande vitória e uma grande oportunidade, pois quem conhece as plantas medicinais sabe o poder que elas têm, e será um grande benefício para as pessoas que farão uso delas”, complementa Roseane Borsato, Farmacêutica do Núcleo de Assistência da SMS.

Sergio Monteiro é biólogo e coordenador, pelo Fórum Itaboraí, do APL de Plantas Medicinais e comemora o atual momento. “A dispensação da matéria prima vegetal às unidades do SUS em Petrópolis representa em si uma grande conquista, que é dar acesso à população a plantas que ajudarão a promover a saúde. Esse exemplo certamente estimula novas iniciativas e fortalece a inclusão das plantas medicinais na saúde pública. Mas este momento representa, também, o cumprimento da última meta do nosso APL, guardando, em cada pacote entregue, todo trabalho em rede realizado ao longo destes anos, um arranjo produtivo local, do qual participam pesquisadores, agricultores e profissionais da área de saúde. Por fim, toda esta proposta valoriza nosso território e nossa biodiversidade, uma vez que as áreas produtivas destas plantas medicinais se tornaram naturais, com a implantação de sistemas agroecológicos de cultivos orgânicos”, explica o biólogo.

Sobre o APL de Plantas Medicinais de Petrópolis 2012

O APL de Plantas Medicinais começou em 2012, quando o Fórum Itaboraí, em parceria com a Prefeitura Municipal de Petrópolis, submeteu proposta que foi selecionada no primeiro edital de projetos de Arranjos Produtivos Locais (APLs) voltados à produção de insumos de origem vegetal, considerando a agricultura familiar e o conhecimento tradicional e científico, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde. O projeto é, assim, uma iniciativa para o fortalecimento e disseminação das práticas de uso das plantas medicinais para promoção da saúde e do bem-estar da população. E o que faz dela uma experiência integrada e sustentável de desenvolvimento local são: a rede de atores envolvidos e o bem desenhado sistema operacional, que parte da exploração sustentável de recursos naturais, envolvendo pequenos agricultores locais, capacitados; passa pela certificação científica, com a chancela de pesquisadores da Fiocruz; e culmina em políticas públicas para o setor, com a dispensação, inicialmente gratuita, das plantas medicinais para uso no SUS Municipal.

Cabe ressaltar, ainda, que as plantas medicinais, de forma integrada com o APL, fazem parte de outra iniciativa do Fórum: o Arboreto do Palácio Itaboraí, uma trilha urbana de 808 metros, com um acervo de mais de 300 espécies de plantas vivas e identificadas, sendo a maior parte delas medicinais, localizada na sede da Fiocruz em Petrópolis, no bairro Valparaíso. É aberta ao público de 8h às 17h, de segunda a sábado, e visitas guiadas por monitores podem ser realizadas mediante agendamento pelo site do Palácio (www.forumitaborai.fiocruz.br).

Fórum Itaboraí – Fiocruz

Inaugurado em 18 de outubro de 2011, como uma unidade especial da Presidência da Fiocruz, o Palácio Itaboraí abriga o Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde. O Fórum é um espaço permanente de reflexão e geração de ideias, que tem como principal objetivo reunir intelectuais, cientistas, artistas, gestores e usuários de educação e saúde do Brasil e do estrangeiro, para gerar formulações de políticas e práticas tendentes a reduzir as desigualdades sociais na saúde. O Fórum também desenvolve ações comunitárias que permitam pôr em prática atividades inter e transetoriais destinadas a contribuir com a redução de desigualdades sociais. Entre essas incluem-se a disponibilização de espaços de estudos com acesso a bibliotecas virtuais; atividades de inserção digital; de apoio à capacitação tecnológica para trabalhadores de saúde; debates culturais, projetos, eventos, concertos e exposições de artes e cultura, entre outras.

SERVIÇO:

Local: Fórum Itaboraí – Fiocruz
Endereço: Rua Visconde de Itaboraí, 188 
Tel.: (24) 2246-1430
Bairro: Valparaíso 
Cidade: Petrópolis/RJ

Email: forumitaborai@fiocruz.br
Programação dos filmes em cartaz