Boa tarde!           Segunda 22/05/2017   14:20
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Top On Informática
Home > Atrativos Turísticos > Museu Casa do Colono: Tradição da Colonização Germânica em Petrópolis
Museu Casa do Colono: Tradição da Colonização Germânica em Petrópolis
Atrativo comemora 41 anos de fundação no aniversário de 174 anos da cidade -16 de março
 
13/03/2017 - 11:32 - Em 10 dias de festa, a influência germânica em Petrópolis é exaltada na Bauernfest por meio da música, dança, gastronomia e os costumes dos nossos colonos. Mas essa tradição, que é parte inseparável da origem da Cidade Imperial, pode ser revivida durante todo o ano no Museu Casa do Colono, importante equipamento que resgata os hábitos e costumes dos nossos colonos alemães. Localizado na Castelânea, o atrativo tem papel fundamental na história da colonização petropolitana e completa, junto com o aniversário da cidade, 41 anos de fundação no dia 16 de março. A casa fica aberta de terça a domingo, e a visitação é gratuita.
 
Nos primeiros dois meses desse ano, o Museu Casa do Colono recebeu mais de 500 visitantes e a Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis quer divulgar ainda mais o espaço para garantir que mais pessoas conheçam o importante equipamento cultural.
 
Da construção ao seu acervo, o museu revela ao visitante o modo simples de vida dos primeiros colonos. A casa foi construída pelo foreiro de origem germânica e ex-militar do Exército Imperial Brasileiro, Johan Gottlieb Kaiser, em 1847, apenas dois anos após a fundação de Petrópolis. Essa simplicidade já é vista na arquitetura, que possui as características de habitação da antiga Simern - cidade alemã que inspirou o nome do bairro Siméria - e de aldeias às margens do Rio Mosel, também na Alemanha. Erguida com ripas de coqueiro, a casa tem paredes de pau a pique, madeira para o vigamento e colunas sob alicerces de pedra bruta, além de teto de zinco
 
No acervo, o resgate do dia a dia dos colonos fica evidente pelos utensílios de uso doméstico e de trabalho na lavoura, mobiliário, além de fotografias, quadros e objetos de uso pessoal. Mais do que seu modo de viver, o museu revela ainda a adaptação vivida pelo imigrante para viver em terras brasileiras. A disposição dos cômodos da casa mostra essa adequação. As casas rurais típicas da Germânia eram normalmente construídas ao redor de um fogão central, utilizado não apenas para cozinhar, mas também para aquecer, no rigoroso inverno europeu. Já no Brasil, há uma separação nítida entre casa, cozinha e banheiro.
 
“A casa em si já é um atrativo, pois tem uma construção diferenciada com características da Floresta Negra, da Alemanha. Sem contar os itens, como um gramofone e uma caixa de música, que segundo pesquisa, seria o primeiro modelo do objeto. E a casa tem toda importância, pois é a única que restou do período da colonização alemã. Mais do que a história da casa em si, quem visita o museu acaba sabendo de toda a história da monarquia e colonização, pois inserimos em todo o contexto. Nós abrangemos todo o conhecimento.”, explicou o coordenador do museu, Didair da Silva. 
 
Patrimônio Cultural Tombado
 
Tombado pelo município em 2011, o Museu Casa do Colono é símbolo da valorosa contribuição desses imigrantes para o nascimento e expansão da cidade. E sua restauração, à época da desapropriação da casa para ser transformada em museu, contou com o empenho, dedicação e total participação do Clube 29 de Junho – associação que congrega descendentes dos colonos germânicos na cidade.
 
O Museu é uma representação da maneira como a herança cultural alemã definiu a cara de Petrópolis, pois a presença germânica na cidade está ligada à sua própria fundação e construção. Importante equipamento cultural e turístico, que também integra o Passaporte Cultural de Petrópolis, o atrativo tem também um perfil didático, recebendo inúmeros estudantes, que representa quase 70% do público.
 
Em 2016, por exemplo, o Museu Casa do Colono recebeu 14.799 visitantes, sendo 10.179 de estudantes. Em alguns meses, como outubro e setembro, quase a maioria do público que visitou o atrativo foi de estudantes, 82,59% e 87,70%, respectivamente.
 
“Mesmo sendo mais afastada do Centro Histórico, ainda assim recebemos um número expressivo de visitantes e muitos deles estudantes. Isso mostra a importância do museu para a história da cidade. No Brasil não se preserva a memória. Mas quem chega aqui se deslumbra com a conservação da construção, do acervo e o quanto de conhecimento passamos. É um local encantador que todos devem conhecer. Vale desviar o roteiro do Centro Histórico para incluir a casa, que é um dos atrativos importantes da Cidade Imperial”, frisa Didair.
 
Serviço:

Museu Casa do Colono

Endereço: Rua Cristóvão Colombo, nº 1034
Tel.: (24) 2247-3715
Bairro: Castelânea
Cidade: Petrópolis

Visitação: terça a domingo, de 8h30 às 16h
Ingressos: Gratuito
disque turismo
Spa Serra Morena