Boa noite!           Sábado 29/02/2020   03:43
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Meio Ambiente > Morte de Primatas no Rio levanta Alerta sobre Interação com Animais Silvestres
Morte de Primatas no Rio levanta Alerta sobre Interação com Animais Silvestres
14/10/2016 - 22:50 - As recentes notícias sobre primatas encontrados mortos e/ou doentes na cidade do Rio de Janeiro trouxeram à tona a velha questão - sempre muito debatida - da interação homem x primatas, que muitas pessoas insistem em vivenciar.

Os primatas são os animais que mais se assemelham aos humanos. Muitos de nossos agentes causadores de doenças, atingem estes animais, assim como o caminho inverso. De acordo com o especialista em animais silvestres, Francisco Vilardo, que atende na Clínica Amigo Bicho, na Montecaseros, as herpesviroses são  apenas  uma das possibilidades de problemas que podem acometer tanto os humanos, quanto os macacos e saguis.
 
“Um agravante, em se tratando de herpesvírus, é que um tipo desse agente patológico pode passar do homem para o animal, se potencializar no bicho e voltar para o ser humano, causando uma doença letal”, explica.

Por isso, por maior que seja o amor e a compaixão pelos animais, não se deve - em se tratando de animais silvestres - tentar uma aproximação à espécies não domésticas. O simples fato de alimentá-los em parques, praças ou nos quintais, pode acarretar sérios prejuízos à saúde deles ou aos humanos. Sem contar a possibilidade de uma agressão, em uma tentativa de captura com intenção de socorrê-los. Somente pessoas treinadas e capacitadas para este fim, devem fazê-lo.

Mesmo com casos encontrados em alguns bairros do Rio de Janeiro, como Tijuca, Quintino, Jardim Botânico e Cosme Velho, a doença só chegaria em Petrópolis trazida por uma pessoa ou primata, que tivesse tido contato com esses animais.

“Entretanto, é preciso alertar que pessoas doentes daqui da cidade, também podem transmitir a doença para os animais daqui da região. Pessoas adquirindo animais de feiras clandestinas também podem introduzir a doença no município”, adverte Vilardo.

“É preciso deixar que eles vivam suas vidas sem interferir. O animal não procura contato, a não ser que seja estimulado. Pessoas que cismam em colocar alimento para animais (quaisquer que sejam eles) atraem os mesmos para o convívio estreito. Animal silvestre é para ser observado de longe”, orienta.

Animais têm  agentes patógenos em seus organismos em equilíbrio, sem causar doença. Alguma situação de stress pode levar ao aparecimento de um surto. Muitas vezes um animal, doente ou machucado, é encontrado desta forma pois é a maneira que a natureza encontra para fazer o controle das espécies. 
Programação dos filmes em cartaz