Boa noite!           Segunda 21/09/2020   05:29
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Meio Ambiente > Bomtempo faz Balanço da Resposta do Município às Chuvas de Janeiro
Bomtempo faz Balanço da Resposta do Município às Chuvas de Janeiro
23/02/2016 - 18:16 - O prefeito Rubens Bomtempo se reuniu, na manhã desta terça-feira (23/2), com o Comitê de Ações Emergenciais e fez um balanço da resposta do município às chuvas da segunda quinzena de janeiro. Em 15 dias, foram 1.216 ocorrências registradas na Secretaria de Proteção e Defesa Civil pelo telefone 199; 263 imóveis interditados; 217 famílias desalojadas - totalizando 696 pessoas; 1.032 atendimentos realizados pela Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac); e 30 mil metros cúbicos de materiais retiradas das vias públicas, como terra, barro, pedras e galhos de árvore.

Bomtempo destacou que, apesar do grande número de ocorrências em pouco tempo, o município conseguiu dar uma resposta rápida e ágil às chuvas, devolvendo a normalidade à cidade.

“A nossa maior vitória foi o fato de não termos vítimas ou feridos, mesmo com mais de mil ocorrências. Isso é o mais importante. O passo seguinte foi garantir a desobstrução das ruas, já que contabilizamos mais de 500 barreiras em vias públicas. A nossa maior dificuldade foi a extensão da área atingida, já que estimamos mais de 300 quilômetros quadrados de área atingida, principalmente os distritos de Itaipava, Pedro do Rio e Posse”, disse Bomtempo.

Para que a resposta às chuvas fosse bem sucedida, o prefeito acionou o Plano de Contingência de Petrópolis – documento que define o que cabe a cada órgão em uma situação de chuvas fortes e que foi apresentado por Bomtempo em dezembro de 2013. Já na noite do dia 15 de janeiro, uma sexta-feira, quando as fortes chuvas começaram, o prefeito mobilizou todo o secretariado para uma reunião emergencial, na Subprefeitura, em Itaipava, para que a Prefeitura trabalhasse de forma intersetorial.

Sistema Nacional de Defesa Civil – Para Bomtempo, em uma situação emergencial como a da segunda quinzena de janeiro em Petrópolis, é fundamental que todo o Sistema Nacional de Defesa Civil atue, incluindo os governos estadual e federal. No entanto, até o momento, Petrópolis não recebeu recursos estaduais e federais.

“Uma chuva dessa proporção não é só problema do município, mas de todo o Sistema Nacional de Defesa Civil. É preciso que todos façam a sua parte, mas isso não está acontecendo. Ao longo de ano de 2015, por exemplo, solicitamos ao Inea (Instituto Estadual do Ambiente) a dragagem dos rios da nossa cidade, mas nada foi feito até hoje”, disse Bomtempo.

No início do mês, o prefeito se reuniu em Brasília com o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e solicitou recursos para Petrópolis, no valor de R$ 1,72 milhão, mas ainda não houve resposta. Bomtempo também encaminhou ofícios, no fim de janeiro e em fevereiro, ao governo do estado solicitando a inclusão de 200 famílias desalojadas pelas chuvas no aluguel social, mas também não obteve resposta.

Comitê de Ações Emergenciais – Bomtempo fez a apresentação ao lado dos secretários Rafael Simão (Proteção e Defesa Civil), Fernanda Ferreira (Setrac) e Anderson Cruzick “Kaxuxa” (Comdep), e do vereador Thiago Damaceno. Na apresentação, realizada na Casa dos Conselhos Augusto Ângelo Zanatta, na sede de Prefeitura, também participaram os demais secretários municipais e representantes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo do Pico do Couto (DTCEA-PCO), subordinado ao Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta I).
Programação dos filmes em cartaz