Bom dia!           Quinta 21/10/2021   08:02
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Conversando com Tê > Conversando com Tê - Aos programas esportivos da TV
Conversando com Tê - Aos programas esportivos da TV
21/06/2010

Eu não estou entendendo o absurdo do momento. Eu estou estupefata! Que nome dar para o que tenho ouvido e assistido na imprensa? Vira-casaca? Que mídia é essa? Brasileira? Acima do bem e do mal ao ponto de não aceitar críticas, mas achar que deve ser reverenciada como um deus? Deus de que? Desconheço!

E, por outro lado, ainda permite e dê espaço a “um senhor branco que um dia usou a camisa azul e branca da Argentina”. Quem é Maradona, ou quem quer que seja, pra falar como queira de um brasileiro? Inadmissível tal postura! Postura preconceituosa, desrespeitosa e prevista como crime em instancia mundial. Que coisa feia!

Inadmissível, de ambos os lados. Aliás, de que lado está a mídia brasileira? Senhores da verdade, do jogo ou também subservientes senhores de patrocinadores venais? Por isso, talvez, é que ainda continuemos a ser considerados um paizinho de terceiro mundo que não merece respeito, mas que todos querem tirar uma lasca. E ninguém fala NADA!

Sai fora! Eu sou brasileira e ponto final. Não quero perder o senso da razão, mesmo porque a vida é mais do que um jogo e o ser humano é mais do que um número de gols. Entretanto, eu quero raça; eu quero torcida boa; eu quero brasilidade.

E meu ouvido não é pinico pra ficar ouvindo comentarista fazendo terrorismo; usando de cinismo; pessoalizando disputas jornalisticas globais com Dunga; criando demandas nacionais; incitando o povo ao racha; privilegiando maus atletas; humilhando os nossos jogadores com comentários esdrúxulos; desvalorizando o meu país; dando margem pra que outrem fale o que quiser, execrando a nossa gente.

Eu quero um Brasil gigante, alegre e altaneiro torcendo por suas cores, com a bola no pé e não assistir meninos mimados e de calças curtas falando sandices, cheios de testosterona ou por falta dela.

Parodiando a canção, temos que ser, em qualquer circunstancia, 195 milhões em ação, colocando o Brasil pra frente, com orgulho de ser brasileiro e com muito amor no coração.

Tê Barbosa

Programação dos filmes em cartaz