Boa noite!           Terça 30/11/2021   19:08
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Saúde > Estresse do Início do Ano pode Agravar ou Provocar Bruxismo
Estresse do Início do Ano pode Agravar ou Provocar Bruxismo
Dentista do Instituto Rio afirma que casos da doença, que se caracteriza pelo ranger dos dentes, aumentaram.

16/01/2019 - 21:46 - Janeiro é o mês do recomeço. Com ele vêm as expectativas, especialmente diante de uma mudança de governo, e os gastos com material escolar, IPTU e IPVA, entre outras despesas. Toda essa apreensão pode ter reflexos na saúde, inclusive bucal. O bruxismo, por exemplo, tem o estresse como um dos principais fatores desencadeantes.

O cirurgião dentista do Instituto Rio, Márcio Marques, conta que houve aumento na procura por atendimento por casos de bruxismo na clínica multidisciplinar.

"Neste ano, especificamente, estamos em transição de governo e de ideias, o que é um fator a mais de rompimento. Ou seja, não há continuidade e a ansiedade é ainda maior. Quando há uma ruptura de um modelo estabelecido, a ansiedade é mais forte. A eleição foi cercada de hostilidade e marcada pela polarização", afirma o especialista, acrescentando que atualmente atende vários casos da doença, que se caracteriza pelo ranger dos dentes.

E se o cenário político é capaz de refletir de forma tão específica na saúde da boca, a crise financeira não fica atrás. Neste caso, os prejuízos podem ser ainda maiores.

"A falta de dinheiro leva a um ciclo complicado de ser interrompido: o estresse agrava o quadro do bruxismo e pessoa não tem condições de pagar pelo tratamento, o que gera mais nervosismo e reflete em mais prejuízos à saúde", explica Márcio Marques.

O hábito de ranger os dentes leva a lesões no sistema mastigatório. Segundo o dentista, o bruxismo ocorre mais comumente enquanto a pessoa dorme, mas em casos mais críticos o atrito ocorre até durante o dia, também de forma involuntária.

O tratamento inclui o uso de placas protetoras durante o sono, mas também pode exigir outras terapias, como o botox. O produto age bloqueando as contrações musculares, responsáveis por causar a destruição dos dentes.

“A substância age inibindo a liberação de um neurotransmissor, o que impede a contração. A musculatura terá menos tônus (força) e assim a pessoa deixará de aplicar pressão entre as arcadas”, explica o cirurgião dentista do Instituto Rio.

Márcio Marques alerta ainda para a importância da busca pelo tratamento correto, já que a próxima consequência, depois da destruição dos dentes, é a dor. Segundo ele, casos mais graves envolvem o tratamento multidisciplinar, com o acompanhamento de um psiquiatra para tratar a causa do problema, em casos que envolvem alto grau de ansiedade.

A clínica multidisciplinar Instituto Rio fica na Rua Marechal Deodoro, 119, salas 12 a 14, no Centro de Petrópolis. O IR também tem sede no município de Cabo Frio, na Av. Teixeira e Souza, nº 2.277, sobreloja, no Braga. Outras informações pelos telefones: (24) 2231-0305 e (22) 2647-6242.
Programação dos filmes em cartaz