Boa noite!           Domingo 28/11/2021   18:14
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Saúde > Verão: Início da Estação mais Quente do Ano preocupa Dermatologistas
Verão: Início da Estação mais Quente do Ano preocupa Dermatologistas
20/12/2018 - 11:55 - O verão está chegando na próxima sexta, dia 21 de dezembro, com praias e piscinas  brasileiras lotadas como sempre! Entretanto, é possível ao mesmo tempo se divertir, aproveitar o sol e se proteger contra tumores de pele. “A questão não é deixar de aproveitar praias ou piscinas, mas saber como se expor ao sol para não descascar, obter queimaduras, não danificar a pele por conta do envelhecimento e principalmente por conta do câncer”, explica a dermatologista Ana Paula Bonvini.

O câncer de pele é o tipo da doença mais incidente no Brasil, com 176 mil novos casos ao ano.  Na classificação de câncer de pele, existe o câncer melanoma e o não melanoma.  O tipo não melanoma é o câncer mais frequente no Brasil e corresponde a 30% de todos os tumores malignos registrados no país. Apresenta altos percentuais de cura, se for detectado precocemente. Entre os tumores de pele, o tipo não-melanoma é o de maior incidência e mais baixa mortalidade.

O tipo melanoma representa apenas 3% das neoplasias malignas do órgão, apesar de ser o mais grave devido à sua alta possibilidade de metástase. O melanoma cutâneo é um tipo de câncer de pele que tem origem nos melanócitos (células produtoras de melanina, substância que determina a cor da pele). De acordo com a dermatologista, geralmente está relacionado a uma pinta que aparece.

“O que as pessoas mais devem ficar atentas no caso melanoma é ao surgimento de uma pinta esquisita e no caso não-melanoma ao aparecimento de algo que se assemelha a uma pinta que está crescendo ou uma lesão áspera e procurar o médico. Quanto ao melanoma, a pinta pode sangrar, ter várias cores, crescer, ter bordas pouco definidas e assimétricas. No site da Sociedade de Dermatologia que é o www.sbd.org.br, há um link que calcula o risco para o câncer de pele no usuário. As pessoas mais propensas ao câncer melanoma são aquelas que tiveram exposição aguda à luz solar, durante a infância, adolescência e juventude tiveram queimaduras solares, com bolhas e exposição intensa. As pessoas que vieram se queimando, se bronzeando ao longo da vida e tiveram exposição crônica são mais suscetíveis a desenvolver em idade mais madura os cânceres não-melanoma nas áreas mais expostas”, detalha.

O câncer de pele é mais comum em pessoas com mais de 40 anos, sendo relativamente raro em crianças e negros, com exceção daqueles já portadores de doenças cutâneas anteriores. Pessoas de pele clara, sensível à ação dos raios solares, ou com doenças cutâneas prévias são as principais vítimas. “Nosso foco é muito maior no melanoma, pois se este for detectado precocemente há ótimas chances de cura, mas se demorar, há uma alta taxa de mortalidade”,  ressalta a dermatologista.

Ao se expor ao sol, não se deve esquecer de passar protetor no dorso do pé,  nuca, principalmente nas mulheres de cabelo curto e nos homens,  orelhas e cabeça, em caso de homens com calvície. Para proteção da cabeça e orelhas também é recomendável o uso de bonés com protetor solar na trama. E para crianças, roupas com proteção.

“Mesmo que a incidência seja maior em pessoas de pele clara, morenos e negros também devem utilizar protetor solar com fator de proteção a partir do número 30, se for à praia, precisa ser de 50 pra cima”, complementa.

O melhor horário para exposição ao sol continua sendo antes das 10h da manhã e após às 16h. Uma boa dica é a regra da sombra. Se você estiver no sol e a sombra for pequena, não é um bom horário para exposição, mas se a sombra estiver grande, é o melhor horário para aproveitar a luz solar.  O que as pessoas não podem esquecer é de sempre reaplicar o protetor cada vez que se molhar na piscina e na praia com a pele seca e se estiver transpirando muito.

Exatamente com o objetivo de estimular a população na prevenção e no diagnóstico ao câncer de pele, em 2014, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) deu iniciou ao movimento de combate ao câncer de pele batizado “Dezembro Laranja”. Desde então, sempre no último mês do ano, a entidade realiza ações para lembrar como evitar o câncer mais comum no país e convida a população a compartilhar nas redes sociais uma foto vestindo uma peça de roupa laranja, publicando-a com a hashtag #dezembrolaranja. 
Programação dos filmes em cartaz