Boa noite!           Quinta 02/12/2021   04:14
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Saúde > Prefeitura amplia Ações de Prevenção e tratamento de Câncer de Mama no Município
Prefeitura amplia Ações de Prevenção e tratamento de Câncer de Mama no Município
Hospital Alcides Carneiro dobra o número de consultas, exames e procedimentos oncológicos

Atenção Básica é responsável por 80% dos diagnósticos precoce de câncer de mama
 
01/11/2017 - 14:41 - O município avançou na detecção precoce de câncer de mama se destacando em todo o Estado na assistência à mulher. Em 80% dos diagnósticos positivos da doença, a identificação ocorreu nos primeiros atendimentos junto à Atenção Básica. As equipes das Unidades Básicas de Saúde, Postos de Saúde da Família, Centro de Saúde, Hospital Alcides Carneiro e Ambulatórios de Especialidades atuaram durante todo o mês de outubro realizando as consultas, exames e ações de promoção à saúde da mulher.

Neste ano foram realizadas 7.350 mamografias, sendo 4.209 apenas na faixa etária alvo preconizada pelo Ministério da Saúde - de 50 a 69 anos.  No Hospital Alcides Carneiro o número é mais expressivo, são 3.253 exames, marca que será superada até dezembro, já que o hospital disponibilizou  mais 1.680 exames na unidade. O HAC já bateu a meta de exames realizados em todo o município no último ano –  os quatro mamógrafos credenciados ao SUS que no de 2016 realizou apenas 3 mil exames na faixa etária alvo preconizada.

O município pode, pela primeira vez, bater a meta do Ministério da Saúde de ter 60% das mulheres de 50 a 69 anos com o exame realizado.  Um levantamento da Sociedade Brasileira de Mastologia, em parceria com a UFRJ, apontou a deficiência do Rio de Janeiro na prevenção ao câncer de mama com a falta de mamógrafos. Em 42 cidades no Estado não há mamógrafos na rede pública.

“Eu tenho que agradecer a todas as equipes – enfermeiros, técnicos, médicos, agentes comunitários de saúde, dentistas que realizaram as palestras, consultas e exames alertando sobre a importância do autocuidado e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Os números mostram que estamos no caminho certo. O mamógrafo do HAC teve um problema, foi rapidamente consertado para continuar trabalhando com força total. Eu luto por essa causa há muitos anos, sou autor do projeto de lei que ampliou a realização do exame de mamografia em todo o Estado e vou continuar ampliando o acesso à Saúde das mulheres”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

Ainda de acordo com o estudo da Sociedade Brasileira de Mastologia, dos 484 mamógrafos instalados em hospitais públicos e privados do estado, só 184 estão disponíveis pelo SUS, menos de 40%. Ao contrário dos índices do Estado, o município reforçou a estratégia de prevenção e a pactuação junto a clínicas particulares para ampliar a oferta de mamografias para reverter os baixos índices do ano passado.
 
“Tínhamos esse desafio na gestão, realizamos em nove meses praticamente o mesmo número de exames que foram realizados durante todo ano de 2016, mas apenas no público-alvo que é preconizado pelo Ministério da Saúde, que são as mulheres de 50 a 69 anos. A mamografia é um exame importantíssimo para mulher, pois se diagnosticado precocemente é o câncer que mais apresenta chances de cura”, avalia Silmar Fortes, secretário de Saúde.

Hospital Alcides Carneiro avança na realização de exames e procedimentos
 
Em Petrópolis não há fila para a reconstrução mamária – procedimento realizado após a retirada do tumor que proporciona a devolução da autoestima das pacientes que venceram o câncer. Somente neste ano foram realizadas 250 cirurgias de mama e 1.218 consultas de mastologia no Hospital Alcides Carneiro. Na última segunda-feira (30.10) cinco mulheres foram operadas no 2º mutirão de cirurgias reparadoras proporcionada por 15 profissionais entre cirurgiões, anestesistas, enfermeiros e técnicos do HAC e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
 
Após a realização do tratamento com quimioterapia e radioterapia, as pacientes são submetidas a cirurgia da retirada do tumor da mama. O mastologista Carlos Vinícius Pereira Leite, referência na especialidade no município, reforçou que com a instalação de um ambulatório de reconstrução mamária foi possível realizar os procedimentos tardios e imediatos – quando as pacientes retiram as mamas e já colocam as próteses em uma única cirurgia.
 
“Estamos em crescimento, ano passado foram 33 reconstruções no ano todo e este ano, sem contar o mutirão são 37, além de 7 de reconstrução imediata. Já aumentamos o número de cirurgias que é essencial para diminuir o trauma que o tratamento de câncer proporciona. É uma conquista para todas as mulheres termos condições de realizar esse procedimento com uma equipe completa e tecnologia que se equipara aos hospitais particulares”, avalia o mastologista.
 
As técnicas de diagnósticos também foram ampliadas – foram realizadas 445 ultrassonografias mamárias, 181 procedimentos entre biópsia, punção de cistos, colocação de clipe em nódulo mamário, entre outros. Há ainda 21 ressonâncias mamárias realizadas a fim de complementar os exames de pré-operatório.
 
“Alguns exames, como a ressonância são realizados para o planejamento da cirurgia. Com a ressonância conseguimos avaliar se o tumor reduziu com as sessões de quimioterapia ou radioterapia”, explica a médica radiologista do Hospital Alcides Carneiro, Karuline Catein.
 
A professora Ana Paula Vieira Afonso Barreto de 42 anos descobriu recentemente o câncer de mama e após a finalização das sessões de quimioterapia realizou a ressonância para marcar a cirurgia de retirada do tumor.

“Minha mãe morreu de câncer de mama há 8 anos e eu realizo o exame anualmente sem exceção. Descobri o tumor ainda precocemente então estou muito otimista. O meu conselho é que as mulheres não deixem de fazer o exame anualmente, agora pelo SUS o acesso é facilitado para os exames e tratamento. Nossa saúde vale muito e se Deus quiser ano que vem serei eu realizando as campanhas de Outubro Rosa”, afirma.
Programação dos filmes em cartaz