Bom dia!           Segunda 21/09/2020   06:27
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Meio Ambiente > Escolhidos os Cinco Eixos da Política Agrícola e Fundiária do Município
Escolhidos os Cinco Eixos da Política Agrícola e Fundiária do Município
Definição ocorreu durante reunião do Compaf – Conselho Municipal de Políticas Agrícolas e Fundiárias
 
11/08/2017 - 18:07 - Representantes das seis associações que representam os produtores agrícolas no Compaf – Conselho Municipal de Políticas Agrícolas e Fundiárias - escolheram os cinco eixos que devem nortear as políticas para a área agrícola e fundiária do município de Petrópolis. A escolha foi feita durante a reunião do mês de agosto do Compaf, nessa sexta-feira (11.08), na sede da Emater, em Itaipava.
 
O encontro contou a presença da equipe do Departamento de Agricultura, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, agricultores e o do vereador Jamil Sabrá, representante da Câmara Municipal no Compaf. Na ocasião, os conselheiros analisaram 13 propostas.
 
“Foi um encontro muito proveitoso, onde trocamos informações com os representantes da sociedade civil. Eles sugeriram as mudanças necessárias e chegamos aos cinco eixos”, disse o diretor do Departamento de Agricultura, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico.
 
São 800 famílias, cerca de 5 mil pessoas que vivem da produção rural em áreas do distrito da Posse, Jacó, Caititu, Vale das Videiras, Brejal, Taquaril, Secretário, Bonfim e Caxambu, movimentando R$ 16 milhões por ano na cidade.
 
“Muito importante a escolha dos eixos feita através do apoio mutuo entre a sociedade civil e o poder público. Todos ganham com esse diálogo aberto”, disse Paulo Aguinaga, vice-presidente da Associação dos Produtores Rurais do Brejal.
 
Conheça os cinco eixos:
 
O primeiro eixo definido nas prioridades para o setor está o incentivo à cultura típica dos produtores rurais do município, apoiando a realização de festas nas comunidades, como o AgroSerra, recentemente realizado. Também são previstos exposições, leilões e atividades afins da agropecuária, além da implantação de hortas escolares ou comunitárias em instituições públicas ou privadas, incentivando a piscicultura, a floricultura, a fungicultura e a apicultura.
 
A criação de uma central de abastecimento municipal norteia o segundo eixo visando fomentar a produção da agricultura local e novos pontos de venda direta para o produtor e a garantia do uso do Cartão Imperial na rede conveniada para a compra de produtos da agricultura familiar.
 
O terceiro eixo estimula a diversificação de produtos através da distribuição de sementes, mudas e insumos, além de incentivar a recomposição florestal através do programa PSA (Pagamento de Serviços Ambientais) e a venda direta entre produtores e compradores institucionais públicos e privados, incrementando a participação da agricultura familiar no fornecimento para a merenda escolar e outras instituições públicas e privadas.
 
Já o quarto eixo demanda a celebração de convênios com entidades estaduais, federais ou particulares de assistência técnica, extensão rural, fiscalização, pesquisa e formalização do agricultor, para apoiar os produtores, prioritariamente da agricultura familiar.
 
O último eixo definido estabelece o apoio ao produtor rural na forma operacional das plantações: preparação do solo, melhoria das estradas vicinais e escoamento da produção.  E também estabelece melhorias nos serviços básicos de saneamento, energia elétrica, telefonia e internet nas áreas rurais.
 
“Muito importante a escolha dos eixos feita através do apoio mutuo entre a sociedade civil e o poder público. Todos ganham com esse diálogo aberto”, disse Paulo Aguinaga, vice-presidente da Associação dos Produtores Rurais do Brejal.
 
Conferência do Compaf
 
Votaram na aprovação dos eixos os representantes das seis associações que foram eleitas para representar os produtores agrícolas no Compaf, durante a Conferência realizada em julho. Foram eleitas: Sindicato Rural, Emater, Associação dos Produtores do Brejal, Associação dos Produtores do Bonfim, Apherj (Associação dos Produtores de Hortifrutigranjeiros do Rio de Janeiro) e Associação dos Produtores do Caxambu.
Programação dos filmes em cartaz