Boa noite!           Segunda 22/07/2019   00:14
Receba nossos informativos: Nome: Email:
Home > Palestras e Workshops > Dia 25/04 ás 19h Cinema360° apresenta Em busca de um lugar comum de Felippe Schultz Mussel
Dia 25/04 ás 19h Cinema360° apresenta Em busca de um lugar comum de Felippe Schultz Mussel
15/04/2014 - 19:41 - Neste mês o Cinema360graus traz o longa de Felippe Schultz Mussel que lança um olhar sobre a nova relação costurada entre favela, turismo e cidade. Anunciadas mundo afora como principal cenário das mazelas sociais brasileiras, as favelas cariocas se consolidaram como um dos pontos turísticos mais visitados do Rio, produzindo não só a remodelação dos roteiros turísticos tradicionais, como uma mudança nas memórias que os estrangeiros guardam da cidade. Imerso nos passeios pela Favela da Rocinha, o documentário investiga os desejos e as imagens envolvidas na construção deste disputado destino turístico. Um mercado que, atento as demandas, não cessa em projetar seus novos atrativos.

Dia 25 de abril de 2014, sexta feira às 19h na Sala de Cinema Humberto Mauro no Centro de Cultura Raul de Leoni
Batepapo com o diretor ao final da sessão

Mais informações sobre o filme

Em busca de um lugar comum (A place to take away, título em inglês) é um documentário longa-metragem com 80 minutos de duração. Seu argumento original é fruto da parceria entre o diretor Felippe Schultz Mussel e a socióloga e pesquisadora Bianca Freire-Medeiros, autora do livro Gringo na laje (2009).

O filme investiga o estabelecimento das favelas cariocas enquanto destinos turísticos, um fenômeno que, diante das transformações políticas e sociais em curso na cidade, se apresenta em franca expansão. A partir da imersão no universo dos tours pela Favela da Rocinha, acompanha-se o processo de condução dos passeios pelos guias, investigando seus discursos e roteiros padronizados, cujas estratégias de encantamento dos visitantes forçam os limites da ética.

Afinal, o que buscam os turistas em uma favela? Quais os papéis exercidos pelos operadores turísticos enquanto mediadores, e vendedores, desse “encontro”? Até que ponto capitalizam os sentimentos de seus clientes ou tiram vantagem do desejo inconfesso e algo voyerista de ver como os pobres são?

Desde então o documentário já exibido em importantes festivais de cinema e documentário nacionais e internacionais, como o Festival de Cine de Málaga (Espanha), Cine Distrital (México), Hollywood Brazilian Film Festival (EUA), Vancouver International Film Festival (Canadá), FIDBA, (Festival Internacional de Documentários de Buenos Aires), Millenium Internancional Documentary Filme Festival (Bélgica), Festival de Cinema de Biarritz (França), entre outros.

Sobre o diretor

Documentarista técnico de som direto em cinema. É responsável pelo som de mais de 30 filmes brasileiros produzidos na última década entre longas de ficção, documentários e curtas. Recebeu por duas vezes o prêmio de Melhor Som no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro: pelo documentário Morro dos Prazeres (2013), de Maria Augusta Ramos, e pelo curta-metragem Menino-peixe (2012), de Eva Randolph. Petropolitano residente no Rio, atualmente desenvolve pesquisa de mestrado em Estudos de Cinema e Audiovisual na Universidade Federal Fluminense sobre os usos políticos do som no cinema brasileiro contemporâneo.

Programação dos filmes em cartaz